Páginas

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Mulher e Mãe. A difícil e doce arte de ser.

Mãe... que dá o melhor de si e convive com a crônica sensação de que nada é o suficiente.
Mãe de carne, osso e vísceras que, ao se perceber humana, sente-se cada vez mais distante do ideal de devoção da Santa Mãezinha. E por isso se culpa.
Mãe que comprou o sabonete com óleos essenciais, o iogurte com fibras, o desinfetante com cloro ativo, a fralda com bloquigel e mesmo assim seu filho não dormiu a noite inteira, seu marido se queixa e sua casa não é o templo limpo, perfumado e livre de insetos que aparece na TV.
Mãe mulher, dona de casa, profissional e amante, que segue passo a passo as dicas das revistas femininas para conciliar seus inúmeros papéis e virar “super”, mas ainda não encontrou sua capa.
Mãe cuja única preparação para a mais dramática mudança da sua vida foi o cursinho da maternidade e, se privilegiada, a decoração do quartinho e a compra do enxoval.
Mãe que vive em uma sociedade que a glorifica, ao mesmo tempo em que a obriga a terceirizar a criação dos seus filhos. Seja por necessidade, independência ou reconhecimento. Como se, em qualquer um desses casos, essa não fosse uma decisão extremamente difícil.
Mãe que se divide diariamente entre a administração do lar e da profissão, encarando múltiplas jornadas que a levam constantemente à exaustão física e emocional.
Mãe que se dedica de corpo e alma ao significativo projeto de criar uma criança, enfrentando um nível de cobrança superior ao de qualquer chefe ranzinza e cliente exigente. 365 dias por ano, 24 horas por dia. E mesmo assim é percebida como alguém que não faz nada.As vezes até por si mesma.
Mãe pobre que, quando opta pelos filhos, é acomodada. Quando rica, é madame. E, quando profissional, é ausente.

Verdade, crua e nua... mas somos Guerreiras e pelo amor, Superamos Tudo!

8 comentários:

  1. Oi Keylla, estou passando pra retribuir sua visita, e para agradecer o selinho fiquei muito feliz :). Estava aqui lendo seu post e acho que vc vai achar o cumulo quando ler meu ultimo post. Mas desde ja eu peço desculpa por ele mas eu precisava desabafar. Bjs e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Keylla obrigado por me compreender e me aconselhar, adoro pessoas solidárias mas confesso que no meu convivio não tenho ninguém assim que eu possa desabafar. Mas ainda assim eu não acho normal eu ser assim com a minha filha, a única pessoa por quem eu daria a vida.
    Mas eu quero superar isso e eu vou conseguir.
    Se vc puder me passar seu msn, fico muito grata.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Querida Keylla...primeiramente obrigado por me seguir tmb, estive aqui uns dias atrás, e retornei agora.
    Sua transformação na sala ficou ótima e paroveito e pergunto aonde vc comprou sua mesa linda, seria o tamanho ideal pra minha casinha, se não for abuso claro!
    E o texto acima...lindo!!!
    Amo ser mãe :)
    Bjs e que Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, é desse jeitinho. Se vc se dedica a casa e filhos aos olhos dos outros não fazemos nada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Keylla...tudo bem?
    Obrigado por me responder, vou tentar convencer marido a comprar essa, e não a das casas Bahia!
    Bjinho flor :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Keylla, obrigado por seu comentário....é tão bom conhecer pessoas dedicadas em serem amáveis, tão difíceis de encontrar no dia a dia... um grande abraço...

    ResponderExcluir
  7. vc é muito linda e prendada , parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tô chegando e já estou ficando, amei tudo por aqui!!! Bjim

    ResponderExcluir